segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A Vida como ela É (Parte 1)


Tudo na “sua” vida é uma questão de opção, de querer ver, de sentir, de se permitir, de acreditar na sua experiência de vida, de estar presente no momento da experiência, ou ela não terá valido de nada.
Este fato nos faz perceber o por quê de termos acesso a tantos meios de informação, comunicação e expressão e, no entanto, apreendermos tão pouco ou nada.   Certamente por termos as palavras dos outros como verdade há milênios e não acreditarmos na nossa própria experiência de vida; por não agirmos de forma coerente com o que pensamos, acreditamos, imaginamos, sonhamos, sentimos, vivenciamos, confiamos, e assim por diante, já que é tudo a mesma coisa.
A palavra é, indubitavelmente, o meio menos eficaz de transmitir ou compreender as coisas da vida, da natureza, do universo, de Deus, de você mesmo, e assim por diante, já que é tudo a mesma coisa.   Porém, a palavra é o verbo ao seu alcance para a transformação, para a concretização ou realização dos seus sonhos, dos sonhos que trazem, em si, a evolução da vida, do universo.
Aprender é crescer, crescer é dar-se conta, dar-se conta é estar consciente, estar consciente é estar presente em si mesmo, estar presente em si mesmo é estar aqui agora, estar aqui agora é estar livre para o que vier, estar livre é fazer parte, realmente, do processo de transformação, de evolução do universo, que talvez seja a razão maior de estarmos aqui. Estar aqui é estar vivo, estar vivo é amar a si mesmo, não sobre, mas com todas as coisas, com todas as vidas; é sentir a vida como ela é, sem condicionantes, sem julgamentos, apegos ou limitações.  

                                                         MauroJoseSantin

Nenhum comentário:

Postar um comentário